Otoplastia

 

A presença de orelhas em abano decorre de uma alteração congênita do formato, relevo ou mesmo da posição das orelhas, fazendo com que estas fiquem muito aparentes, trazendo considerável prejuízo para a harmonia facial.  Por ser uma alteração congênita, é muito comum ser transmitida geneticamente, assim pais com orelha em abano apresentam maior possibilidade de terem filhos com a mesma alteração.

Apesar de não acarretarem alterações fisiológicas ou funcionais, ou seja, a audição nesses casos é perfeitamente normal, tais deformidades da orelha proporcionam considerável prejuízo estético. A presença de orelhas em abano pode causar ainda traumas psicológicos, distúrbios comportamentais e restrição do convívio social, sobretudo em crianças e adolescentes, por serem freqüentemente vítimas de apelidos ou mesmo bullyng. Estudos apontam que os problemas psicológicos sofrido por estes pacientes na infância relacionam-se com piora da qualidade de vida, resultando em pior desempenho na escola, inseguranças e baixa autoestima, dentre outras alterações comportamentais.

Otoplastia é a cirurgia que corrige as orelhas em abano. Este procedimento cirúrgico é realizado através de várias técnicas que esculpem e modelam as cartilagens da orelha, corrigindo assim esta alteração com resultados muito naturais. Atualmente as técnicas utilizadas permitem uma recuperação extremamente rápida, muitas vezes propiciando o retorno às atividades habituais em até 48 horas. O procedimento deve ser realizado em bloco cirúrgico, podendo ser executado com anestesia local com ou sem sedação. A cicatriz resultante fica posicionada no sulco presente atrás da orelha, e se torna, via de regra, praticamente imperceptível.

Atualmente existe consenso que podemos realizar esta cirurgia em crianças a partir dos 6 ou 7 anos de idade, uma vez que a orelha esta praticamente formada, período que coincide com o início da fase escolar, época em que apelidos indesejáveis são criados pelos colegas de escola e que podem trazer traumas psicológicos futuros.

Assim, apesar de a otoplastia poder ser realizada em qualquer idade no adulto, quanto mais precoce for realizada na criança melhor, pois evita traumas psicológicos, baixa autoestima e, em casos mais extremos, bullying. Procure o auxílio de um Cirurgião Plástico devidamente qualificado e Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para maiores informações.

Por Dr. Alexander Hornos*

*O Dr. Alexander Hornos, CRM 29199, é Cirurgião Plástico, Membro Titular pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Veja mais em: http://www.alexanderhornos.com.br/

Sem Comentários

Cancelar