Saiba o que é complexo de inferioridade, quais são as causas e os sintomas desse mal que afeta cada vez mais pessoas

Complexo de Inferioridade: Saiba os 4 sintomas

Todo mundo tem dias em que não se sente a pessoa mais bonita, mais inteligente ou mais competente do mundo e isso é normal, afinal, todos os altos e baixos em relação à nossa imagem são parte daquilo que nos torna humanos. Mas, para algumas pessoas, todo o dia é dia para esse sentimento de inadequação, ou melhor dizendo, de inferioridade.

Viver em comparação com outras pessoas e tentar se enxergar através do olhar do outro são alguns dos sintomas que abrangem o complexo de inferioridade. E é sobre ele que vamos conversar melhor hoje: o que é, quais as causas e os sintomas desse mal que afeta cada vez mais pessoas. Venha conferir!

O que é o complexo de inferioridade

Basicamente, o complexo de inferioridade pode ser definido como a visão distorcida ou um pensamento irracional que alguém apresenta de si mesmo. Pessoas que sofrem com ele vivem tentando, de maneira inconsciente, viver de acordo com o que acredita que é esperado dela, por isso, falamos sobre “se enxergar através do olhar do outro”.

O termo complexo tem origem no latim “complectere”, que significa “abraçar” ou “cobrir”. Levando a etimologia em consideração, podemos entender o complexo de inferioridade como uma força que aprisiona a pessoa em um ciclo de baixa autoestima e incapacidade de reconhecer as próprias qualidades.

Os principais sintomas do complexo de inferioridade

Perfeccionismo

Todo mundo quer saber que desempenhou um bom trabalho e sabe que cometeu o menor número de erros possível. Mas isso é diferente para as pessoas que se consideram inferiores: a perfeição é uma meta a ser atingida a todo custo e cada mínimo erro serve como uma comprovação da sua inabilidade.

O perfeccionismo, na verdade, demonstra uma falta de traquejo ao lidar com os erros. Essa característica, além de sofrimento, é responsável por fazer com que a pessoa “empaque” em projetos, atrasando-os em busca da tão sonhada — e irreal! — perfeição.

Atenção à opinião alheia

Por sentir que não é capaz de conquistar o amor das pessoas por quem é, busca-se então adequar-se às expectativas dos outros: como eles querem que se aja? Quais opiniões se deve ter? Essa busca por adequação e amor traz um sofrimento enorme, uma vez que ao viver tanto tempo se moldando para agradar os demais, a própria pessoa já não conhece mais suas características próprias.

Vitimismo

Um dos sintomas mais visíveis do complexo de inferioridade é esquivar-se de toda a “culpa” por seus fracassos: se não deu certo é porque alguém boicotou, o momento não era o ideal, a ideia não era boa, enfim, mil e um motivos externos aparecem para eximir a pessoa de encarar suas fraquezas e erros.

Julgamento

Com o objetivo de mascarar suas fraquezas, quem sofre com o complexo de inferioridade pode cair no hábito de apontar os defeitos e erros dos demais. Isso se dá em uma tentativa de desviar a atenção dos outros de si, mostrando como tem gente que pode “ser pior” e, assim, se valorizar ao diminuir o outro.

As causas do complexo de inferioridade

Como em tudo aquilo que envolve aspectos pessoais, as causas do complexo de inferioridade podem ser muitas. É importante que se entenda a raiz do problema, quais foram as situações ocorridas que levaram alguém a desenvolver esse padrão de comportamento para, então, modificá-lo.

Geralmente, a infância é o momento em que insegurança pode se instalar e, ao contrário do que muitos podem pensar, não apenas a negligência emocional pode afetar, mas o excesso de zelo também.

Crianças que não recebem amor se sentem não merecedoras dele, vivendo a vida buscando aprovação e afeto; crianças superprotegidas podem assimilar que não conseguem fazer nada sozinhas e, sem reconhecer suas habilidades, podem se tornar adultos inseguros e dependentes dos outros.

Apenas um profissional saberá identificar as causas e ajudar a superar os sintomas do complexo de inferioridade, a fim de diminuir o sofrimento, fazer com que as qualidades naturais aflorem e sejam reconhecidas. Se você se identificou com alguns dos sintomas descritos neste texto ou conhece alguém que se enquadra, procure a ajuda de um psicólogo.

Se ainda restar alguma dúvida a respeito do assunto, deixe seu comentário que logo, logo responderemos para você!

Sem Comentários

Cancelar