A Quarentena e o Futuro! Será o remédio mais letal que a doença?

Hoje eu quero trazer para vocês um pouco do que estamos vivendo e uma visão do que eu imagino para um futuro próximo.

O que eu vou comentar com vocês, talvez eu tenha dividido com pouquíssimas pessoas até hoje. Mas hoje eu senti que deveria dividir com todos.

Estamos vivendo um momento histórico e o efeito colateral deste momento é preocupante.

Acredito que todo empreendedor em algum momento já cogitou a possibilidade de fechar a empresa. Isso pode ter sido no plano de negócio ou até mesmo no andamento do empreendimento. O cenário nem sempre é favorável. Mas será que algum dia alguém já tinha pensando que o seu negócio poderia ser fechado por uma pandemia mundial? Acho difícil, até mesmo o mais pessimista, não deve ter colocado este fator de risco no seu planejamento.

Sempre tive como principal função dentro da empresa a parte estratégica e financeira, e minha ideia com este texto não é trazer uma discussão política, mas sim uma reflexão do que pode ser menos prejudicial neste momento.

Todos os gestores precisaram tomar decisões difíceis e muitas delas têm efeitos colaterais. Muitas vezes o problema é tão complexo que não existe uma alternativa boa e sim a “menos ruim”.

Vivemos um momento no Brasil onde as informações nunca foram tão rápidas, porém muitas bobagem e mentiras também são consumidas na mesma velocidade.

Sempre tivemos muito cuidado com as informações que passávamos nas nossas redes, e nos deparávamos com muitos profissionais do nosso segmento, que não tinham nenhuma preocupação com as informações que estavam jogando no mercado e muitas vezes sem embasamento. Isso atrapalhava muito quem realmente queria trabalhar da forma correta! Em reuniões internas, falávamos em ter que desmentir os sonhos irreais vendidos pela mídia desesperada destes profissionais e clínicas que só pensavam em vender.

E por isso quero falar algo tão importante neste momento.

Não sou a pessoa mais adequada para falar sobre o Covid-19, até porque não é minha área e também não existem estudos embasados e comprovados sobre a cura, devido ao curto período de tempo e amostras do mesmo.

Por estarmos vivendo em um momento de polarização, mesmo quando todos parecem estar no mesmo barco, surge uma visão politica velada. Mas quem ganha com isso?

Se você fala em preocupação com a economia, você é um desumano que só se preocupa com dinheiro.

Será que a dose do remédio não vai ser mais letal que a doença?

Com praticamente 35 anos de idade e com um filho de 1 ano e 5 meses, nunca pensei que pudéssemos passar por um momento como o que estamos vivendo. Estamos de quarentena a praticamente 1 semana, e confesso que neste período eu pensei várias vezes o quanto é terrível esse vírus, o quanto isso poderia fazer com que eu nunca mais pudesse falar com um ente querido, o que eu gostaria de ter dito para algumas pessoas que estão na faixa de risco da minha família e não falei.

Realmente faz você repensar algumas coisas! Mas será que o pânico é o melhor caminho? Para quem interessa?

Mas eu preciso abrir meu coração e ser muito sincero: me peguei pensando muito mais vezes o que pode acontecer com nossos colaboradores! O quanto difícil é para um líder ter que mandar embora a única provedora da sua casa e sabendo que ela vai encontrar por meses ou até anos dificuldade em achar novamente um trabalho como o que tinha em nossa empresa. O quanto seria difícil ter que mandar uma equipe inteira embora sem saber como elas vão conseguir se realocar.

Pensei em profissionais que são autônomos e que sem trabalhar, não recebem. Quanto tempo eles conseguem viver assim?

Não existe estratégia perfeita neste momento, mas não podemos perder uma guerra sem lutar. Com os dados atuais (que são poucos), eu pensaria em manter o isolamento para a faixa de risco e faria de forma estratégica o retorno da economia com as pessoas que estão fora deste grupo.

O mais absurdo são as pessoas fazerem campanhas para todos estarem em casa, falando sobre a importância do isolamento, porém pedindo coisas pelos aplicativos. É de uma hipocrisia assustadora. Quer dizer que as vidas destes trabalhadores que estão mantendo mercados abertos, farmácias, entregas de alimentos e outras coisas não deveriam estar sendo preservadas também?

Existem trabalhadores arriscando suas vidas para me servir e servir minha família enquanto estamos de quarentena?

Trabalhamos com a promoção da saúde e sabemos o impacto que o próprio sistema de saúde vai encontrar pela frente.

Pensando nisso decidimos neste período de “Fechamento” nos reinventarmos para promover saúde para nossos clientes e possíveis interessados, tentando ajudar no combate as possíveis complicações que o Covid-19 possa gerar. Desenvolvemos conteúdos e Lives para esclarecer e ajudar nossos seguidores e adequamos nossos treinamentos funcionais, consulta médica e consulta nutricional para o formato online.

Acredito que ao final deste período, as empresas que permanecerem ativas após essa catástrofe, deverão conscientizar-se da sua responsabilidade em ajudar ao próximo e em prosseguir com as recomendações que sejam dadas pelos órgãos responsáveis.

É um momento da humanidade repensar e as empresas precisam se adequar ao novo cenário que está por vir.

Espero que o efeito colateral seja o menor possível para as pessoas e empresas.

Muito obrigado!

Ranieri Brognoli
CEO – Clinica Grendene

Sem Comentários

Cancelar